Facebook Twitter Google+ email



Detentas fazem rebelião para matar mãe que estuprava filha de 7 meses em parceria com o amante


Esta postagem foi publicada em 7 de setembro de 2017 Notícias em Destaque.

Manaus – Na tarde desta quarta-feira (6), um motim iniciado no Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), localizado na BR-174, deixou 3 agentes penitenciários reféns e colchões incendiados durante a ação.

Com as criminosas, foram encontradas armas artesanais, possivelmente fabricadas com pontas de arame farpado.

Foi esclarecido que o motivo pelo qual as detentas se rebelaram foi para invadir a área chamada ‘Seguro’, em que ficam as detentas ameaçadas de morte, e matar a peruana que estuprava a filha de 7 meses, junto ao companheiro.

Os dois foram presos na última quinta-feira (31) em flagrante, no motel Chateau, no bairro Coroado, em que uma camareira ouviu os choros da criança. Em seguida, foram feitos exames no Instituto Médico Legal (IML) que comprovaram que a bebê vinha sendo abusada há muito tempo, visto as condições do ânus e vagina da criança.

O secretário executo adjunto da Seap informou que toda a cadeia quer a peruana, mas que dessa vez ela foi salva. As internas aproveitaram o momento em que voltariam para as celas para render os agentes.

Após 3h de motim, elas liberaram os reféns. Cinco presas envolvidas serão colocadas no isolamento como forma de punição administrativa. A Seap reforça que os demais procedimentos administrativos e disciplinares serão aplicados.

CM7

Nenhuma banner para exibir

Notícias em Destaque