Facebook Twitter Google+ email



Menino de 8 anos com fome morre de overdose após “confundir metanfetamina para cereal”


Esta postagem foi publicada em 4 de agosto de 2018 Carrossel de Notícias Topo, Internacional.

Curtis Collman teve 180 vezes o limite letal de metanfetamina em sua corrente sanguínea quando ficou doente em 21 de junho. A polícia foi chamada para a casa de seus avós em Crothersville, Indiana, e ele foi levado ao Centro Médico Schneck, onde morreu mais tarde.

O pai do menino, também chamado de Curtis Collman, já foi acusado de negligência de um dependente que causou a morte e, se considerado culpado, pode pegar até 40 anos de prisão.

É alegado que na manhã de sua morte, Curtis acordou seu pai dizendo que ele estava com fome, mas Collman disse ao filho que não havia comida na casa.

Collman, 41, mais tarde admitido na polícia enquanto não havia comida, ele tinha metanfetamina na casa e que ele deixou alguns em um prato, relatórios WDRB. A polícia acredita que o menino tenha ingerido a metanfetamina, achando que era comida.

O depoimento declara que “uma placa de vidro transparente estava localizada na área da cozinha”, que tinha uma “substância parecida com cristal, de cor acastanhada” sobre ela.

Policiais acrescentou: “Metanfetamina pode ser de cor acastanhada e cristalina.

“Um oficial comentou que o cristal marrom no prato poderia ter sido confundido com migalhas de cereais sem luzes no apartamento.”

Também é alegado que Collman se recusou a procurar tratamento médico para seu filho por temer que ele fosse mandado para a prisão.

A polícia diz que ele sabia que a criança precisava de ajuda médica por quatro horas antes que alguém fosse contatado. Ele finalmente levou o garoto para a casa de seus pais, onde um homem ligou para o 911 e relatou que uma criança não estava respirando.

Quando Curtis finalmente chegou ao hospital, não havia nada que pudesse ser feito para salvá-lo e ele foi declarado morto.

Quando a polícia confrontou o pai sobre a possibilidade de o menino ter ingerido drogas, ele desmoronou e chorou, de acordo com o depoimento.

Ele disse que não achava que seu filho havia tocado a droga porque ainda estava lá quando ficou doente pela primeira vez e suspeitou que Curtis tivesse engolido alvejante do banheiro.

Collman, de Seymour, Indiana, foi preso mais tarde naquele dia e enfrenta várias acusações, incluindo negligência de um dependente, apontando uma arma de fogo, posse de metanfetamina e intimidação.

O jornal Tribune informa que ele deve ser julgado em 4 de dezembro no Jackson Circuit Court.

 

Facebook Twitter Google+ linkedin email More

Nenhuma banner para exibir

Notícias em Destaque